Difícil decisão!

imagem-001-450-x-600

Se você tivesse que optar entre a vida e a vida? E se tivesse que optar entre a vida e a morte? Entre a vida de um estranho e a morte de um conhecido ou o contrário? E se a vida do conhecido estivesse atrelada à do estranho? Pois é, é uma decisão dificílima de se tomar. Quando criança ou adolescente, até mesmo já adulto, sempre via  na tv casos qu figuravam a dolorosa decisão de manter a mãe viva e matar o filho na hora do parto. E já ouvira de minha mãe um caso da mulher de um conhecido nosso que morrera com o bebê na barriga. Talvez me achem doido em transferir essa história para o caso de um animal, mas notem que aqui estamos falando de VIDA e para mim tudo que respira, se move, cresce, tem dor, fome, sede, necessita de carinho é ser vivo e merece o nosso respeito por se encontrar no mesmo patamar que nós.

O problema é com a minha gatinha Circe. Após ter tido os bebês de sua segunda cria tudo indica que ela entrou novamente no cio. Mas gata de cio silencioso é coisa difícil de se identificar. Ela não dá quaisquer sinais de que está nessa fase. E olhe que gato é um bicho escandaloso quando está no cio. 60 dias após o parto, depois do desmame, ela começou a querer andar pelos telhados e aí não deu mais pra segurar. Pior também foi não termos ouvido ou visto quaisquer sinais de envolvimento dela com os gatos. Ela ia e voltava, mas sem barulhos. Acreditando que ela pudesse apenas estar querendo sair, duas semanas depois nós a levamos ao veterinário para verificar se ela estava prenhe e ele não acusou sinais. Devido a esse fato, por não estarmos em condição de fazer a laqueadura, aplicamos a vacina anticoncepcional, que na verdade é uma bomba de hormônio. Depois do esclarecimento de todo o mal que esta vacina traz não recomendo a ninguém que faça aplicação deste tipo de produto em seus animais. A melhor opção é mesmo a laqueadura. A vacina poderá causar câncer de mama ou mesmo a piometra, uma espécie de infecção uterina que poderá causar a morte do animal em até 48 horas, quando a doença estiver em estágio avançado.

O fato é que depois de 45 dias de aplicação Circe começou a inchar e aí pensamos no óbvio: está prenhe. Inevitável fato. Levamos ontem novamente a 2 veterinários, desta vez não mais na mesma clínica. Na verdade, o que os dois acham é que ela teve um forte distúrbio hormonal em virtude da vacina. Os fetos estavam lá, foi o que se supôs, mas eram muito difíceis de serem detectados, tanto que o veterinário apenas teria certeza disso se fizéssemos um raio-x da barriga dela. Mas aí veio a nossa preocupação entre a indicação de um hemograma e um raio-x e a decisão de deixarmos os fetos se desenvolverem. Faltam exatamente 17 dias pra o fim da gestação e tudo indica Circe desenvolveu a piometra, diagnosticado devido ao volume uterino. Acredita-se que a doença esteja em estágio inicial e tem cura com remédios ou com a retirada do útero. Um dos problemas está em saber se os fetos são viáveis ou não. Eles podem estar mortos ou nascerem deformados e a vacina impediria que a gata tivesse as contrações e a força necessárias para expelir os gatos e, provavelmente, morreria no parto.  Diante de todo esse quadro resolvemos optar pela vida de Circe. Vamos operá-la, retirar o útero e com isso, também, retirar os fetos em desenvolvimento. Vou pedir ao veterinário que sequer me mostre alguma coisa. Uma decisão como essa é como escolher a morte de crianças, é um aborto. Acho que essa situação serviu pra me alertar sobre uma grande questão: que a vida prevaleça e que façamos o máximo para conservá-la. Erramos? Sim. E esperamos nunca mais repetir esse erro. Que tudo corra bem na cirurgia e que logo possamos estar novamente brincando com nossa menina. Fico aqui de coração na mão, enquanto ela está sendo cirurgiada. Exagero? Não! Amor.

Selo Blog Original

Nossa, que surpresinha boa! Pode parecer bobagem, apenas um selinho, mas é a comprovação de que o que você escreve está sendo visto e digerido. Em quase 2 anos de blog, entre altos e baixos, entre abandonos e retornos, finalmente vejo que há uma interação muito boa no mundo dos blogs, coisa que eu não tinha percebido logo que me aventurei como blogueiro. Tenho lido muita coisa boa, há muita leitura interessante e frutífera nesse universo.

untitled

Agradeço ao Búfalo do Não ser ou ser pela indicação do meu blog. Ver o nosso trabalho reconhecido é realmente prazeroso. Assim como ele, posso afirmar que escrevo por pura satisfação, mas há pequenas coisas que nos impulsionam ainda mais.

Seguem as regras do selo para que os futuros contemplados possam dar continuidade:

1- publicar o selo em seu blog e dizer de que blog recebeu,colocando o link do mesmo;
2-publicar a história e o motivo do selo;
3-repassar o prêmio selo a três blogs,sendo que o selo não pode ser enviado ao mesmo blog por mais de uma vez(assim mais blogs poderão ser homenageados);
4-publicar no blog o endereço dos homenageados e avisá-los que receberam o selo. Então, gente, eu desejo que esse selo sirva de exemplo e que consiga conquistar o seu objetivo que é a união de todos e o amor ao próximo. (Regganata).

Acho injusto escolher apenas 3 dentro de um mundo tão rico de bons escritos, mas vou procurar contemplar, também, os que ainda não foram escolhidos e que merecem ter seu blog divulgado.

Eis os meus escolhidos:

1 -Taberneira (blog super bem-humorado, uma visão bem teen-ácida do mundo): http://taberneira.wordpress.com

2 – Fernando Mendonça (pra quem curte cinema e quer ter uma visão bastante peculiar e crítica dessa arte, além de indicações e comentários de filmes cult que o blogueiro assiste e registra no blog, deve visitar o site): http://nandodijesus.blogspot.com/

3 – João Paulo (gosto muito da sensibilidade dos textos do blogueiro. Sempre muito ligados à sua vivência e à sua percepção das coisas que o rodeiam): http://jpsfernandes.wordpress.com/

Longe dos holofotes

mm1Quem ler esse post vai dizer que não tem quase nada a ver comigo, mas não estranhem. É que pensei no seguinte fato essa semana: não sei se teria tranco pra ser celebridade. Desculpem os termos, mas é isso mesmo! Essa semana em meio a notícias fúteis encontro a tão badalada foto de Madonna vista com seu mais novo “bibelô”, seu mais novo brinquedinho, o modelo brasileiro Jesus Luz, noticiava a mídia especializada em fofocas e em fuçar a vida alheia. Mais tarde encontraria uma reportagem sobre Ronaldo, o já não tão fenômeno, declarando não dar entrevistas a uma Rede de Tv que havia feito dele motivo de piadas. Acreditem, não era a Rede Globo! Segundo o próprio Ronaldo a Globo era a sua casa. Acho bastante interessante o fato de Ronaldo declarar isso, pois o Casseta e Planeta fez dele motivo de chacota com o personagem Fofômeno, zombando dos quilinhos  a mais que ele tinha e quantas e quantas vezes nao vi Jô Soares fazer gracinhas, piadinhas com a história dos travestis? Certas hipocrisias e acobertamentos das celebridades e seus assessores são desprezíveis. Segundo alguns fofoqueiros de plantão tem celebridade (ou sub) que liga e diz o local onde estará, com quem estará e o que irá fazer para simplesmente estar nos holofotes ou na notícia fantástica do dia. E a mídia fofoqueira entra no jogo sempre criando novos modelos para explorar, é a  apresentadora ou atriz sempre com novo namorado, a mulher do presidente na capa da Vogue ou ele na capa da Men’s Health.

ronaldo-fenomeno O fato é que esse tipo de mídia tem seu lado venenoso. É uma balança em constante movimento pendular e aquele que hoje está  em cima, bem visto, bem cotado, amanhã poderá ser a bola da vez da desgraça. Que importa se o jovem rapaz mineiro é objeto de Madonna? Melhor: ela está crescendo às custas dele? Porque pelo que sei ela já tem uma carreira mais que sólida, uma conta bancária poupudíssima e se levarmos em conta tudo isso, maldosamente concluímos que é ele quem se aproveita dela e constrói a sua imagem, a sua cotação no mundo dos modelos. Afinal, ele é o namorado da rainha do pop. Será que chegaram  a essa conclusão simplesmente por que o viram carregando sacolinhas de compras pra ela? Interessante que se os namorados de famosas carregam as sacolas eles são capachos, escravos e não cavalheiros. É um tanto paradoxal pensar assim, em como se constrói e desconstrói uma imagem tão facilmente, de como tudo que é sólido se desmancha no ar. Depois o outro, o fenômeno, não consegue perder um grama sem a mídia correr e registrar. Se ele vai ao parque andar de bicicleta registram, se vai a um bar e toma um gole de caipirinha a conversa já diz que ele saiu com prostitutas, se ele treina dizem que estava lento demais… A mesma mídia que o exaltou como um dos maiores jogadores de todos os tempos é a mesma que fez do caso dele com travestis um fato que correu o mundo inteiro. Enfim, é deprimente perceber como essas pessoas têm suas vidas vasculhadas sempre. O que elas fazem ou não, se erram ou acertam, não nos cabe julgar. É que antes de serem celebridades elas são todas seres humanos passíveis de falhas, de erros.  Não sei se teria emocional para isso, para ter a vida rasgada aos quatro ventos. Melhor: é tanta mentira (às vezes nem tanto, sabemos), tanta bobagem, tanta falta do que fazer (minha nessa hora kkk – também há tempo pro lixo –  e deles) que é melhor nem emitir opinião a respeito do que viria a acontecer.

Agora a pergunta fatal: o que nos sobra de tudo isso, de tanta invasão da vida alheia? Queria muito saber em que vou crescer ou receber contribuição ao saber da nova cor do cabelo da atriz, da roupa nova do ator, do que veio divulgar o filme, da loja que um outro visitou, dos quilos que um perdeu, da sacola que o outro carregou, do beijo dado ou do jantar com amigos? Eu continuo minha vida longe dos holofotes e agradecendo aos deuses pela graça condedida.